Ineficiência da Sec. de infra estruturas de Lauro de Freitas por Gustavo Ferraz

Lentidão, problema com licitações, entrave jurídico, burocracia e falta de vontade política. A somatória desses fatores tem resultado numa longa espera pelo término de obras em Lauro de Freitas e expõe a morosidade do Poder Público. O cenário é desolador!

Nesta lista de obras paralisadas, temos algumas que são emblemáticas, face ao longo período que se arrastam, como por exemplo; a pequena creche da Av Fortaleza, que iniciou no final do segundo mandato da Prefeita, passou pela gestão do ex prefeito e continua sem ser entregue até hoje a população.

Iniciada em 2015 a Upa do Jambeiro também entrou para o rol das obras inacabadas, uma unidade de saúde que será de grande valia para a comunidade se encontra com a sua estrutura física aparentemente pronta, mas por dentro não temos nenhum sinal de quando será entregue.

A antiga Ceasa no centro de lauro também tem uma tartaruga comandando a obra, a mais de 10 anos  os feirantes não tem a menor expectativa de terem um lugar em condições adequadas, para comercializar os produtos que hoje são vendidos a população com uma estrutura pra lá de precária.

Ainda no centro, saindo um pouco do tema de hoje, não poderia deixar de comentar a respeito das doze salas fechadas e que são de propriedade do município, a algum tempo sem a menor utilidade, mas enquanto isso, os gestores correm atrás de alugueis com preços abusivos, para instalarem as suas secretarias. Esse, será objeto de um comentário mais adiante, onde trataremos exclusivamente desse tema.

Voltando para as obras, no tarumã  temos um posto de saúde pronto já a algum tempo, mas inexplicavelmente ainda não foi inaugurado, sendo que mais uma vez o prazo dado aos munícipes não foi cumprido.

E por falar em prazos não cumpridos, em matéria veiculada por uma rede de televisão o Sec de Infra estrutura o médico Dr Vidigal prometeu a entrega  do complexo esportivo da baixinha da Itinga para o dia 28/03, com tantas promessas não cumpridas a população já não aguenta mais a espera, e, ameaça ocupar o espaço a qualquer momento.

As pessoas estão indignadas, um governo pautado em promessas, uma velha ferramenta utilizada por políticos ultrapassados, é preciso modernizar a maquina administrativa. É inadmissível as secretaria de Educação e Saúde não terem núcleos formados por engenheiros e arquitetos para não só fiscalizar as obras, mas também  acompanhar a elaboração dos editais. 

Com uma folha inchada e acima do Índice da lei de responsabilidade fiscal a cidade vai assistido o bater de cabeça da atual gestora, sem a menor perspectiva de ver a cidade avançar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *