Intoxicação por formol. Veja o que acontece com o corpo

Mulher de 31 anos passou mal enquanto fazia escova progressiva e morreu de parada cardiorrespiratória; suspeita é de reação ao produto

A morte de uma mulher de 31 anos após fazer uma escova progressiva no interior de São Paulo reascende o alerta sobre os riscos que produtos com formol oferecem.

A principal suspeita da Polícia Civil é de que Leidiane Ferreira dos Santos tenha sofrido uma reação alérgica aos produtos usados no alisamento capilar.

Diferentes substâncias da escova progressiva podem ter causado a reação alérgica, mesmo que em pequenas quantidades, de acordo com a dermatologista Damaris Ortolan, da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia).

Ele é permitido apenas como conservante e endurecedor de unhas, com concentrações máximas de 0,2% e 5%, respectivamente, conforme resolução da diretoria colegiada da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

“Qualquer coisa que tinha ali dentro poderia causar a alergia. Mesmo que a pessoa tenha se exposto a pequenas quantidades, já pode ocorrer essa reação, tanto por inalação como por contato com a pele”, explica a médica.

Leia também: 

O toxicologista Sergio Graff esclarece que a reação alérgica depende muito mais do organismo da pessoa do que do produto em si. “É uma resposta exagerada do sistema imunológico do indivíduo.”

Ele acrescenta que pelo fato de qualquer quantidade da substância ser capaz de provocar alergia, todos os cosméticos indicam no rótulo que seja feita a “prova do toque”.

“Você aplica uma pequena quantidade do produto numa região do corpo e espera 24 horas para ver se terá reação alérgica”, ensina o toxicoloxista.

“Organismo entra em colapso”

A principal preocupação quando se fala em intoxicação por algum tipo de produto é o choque anafilático. “É uma reação alérgica muito grave, que [ocorre] em minutos ou segundos, com a grande liberação de uma substância chamada histamina”, explica Damaris.

Os sintomas incluem inchaço na pele e nas vias respiratórias, náuseas e vômitos. Casos extremos podem levar à morte.

“Os vasos sanguíneos têm uma dilatação maior, a pressão cai, e a partir do momento em que a circulação [sanguínea] é alterada, não chegam os nutrientes e oxigênio necessários aos órgãos, então o organismo entra em colapso”, detalha a dermatologista.

Ela ressalta ainda que a morte de Leidiane pode ter sido causada pela intoxicação por formol, que pode acontecer com qualquer pessoa que for exposta a grandes quantidades, via inalação. “O produto evapora, aí a pessoa inala e tem intoxicação”, explica.

De acordo com a especialista, a possibilidade de ocorrer intoxicação por contato é mínima. “É difícil conseguir absorver grandes quantidades de formol através da pele”.

A intoxicação pode ser leve, moderada e grave. “A circulação do formol no organismo pode danificar diversos órgãos e ser fatal”, alerta Damaris.

O toxicologista Sergio Graff ressalta que todas as substâncias usadas em alisantes possuem pH altamente alcalino, por isso são corrosivas e, em alta concentração, podem queimar a pele.

“O ideal antes de fazer qualquer procedimento é perguntar qual o produto usado e verificar na embalagem se tem registro na Anvisa”, aconselha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *