Acusado de matar ex-mulher e ocultar o corpo em rodovia é preso por agentes da Deam

 Acusado de matar ex-mulher e ocultar o corpo em rodovia é preso por agentes da Deam

[ad_1]

Porto Seguro: Posteriormente intensa investigação e diligências realizadas pela Delegacia Privativo de Atendimento à Mulher (Deam) de Porto Seguro, Josenilton Dias dos Santos, de 29 anos, foi recluso no início da noite desta quinta-feira (05). Ele é criminado de matar a ex-mulher, Zamali Liege Santos, de 30 anos, em Arraial d’Ajuda, litoral sul do município. Posteriormente o delito, o próprio Josenilton enviou um áudio à família da vítima informando sobre o homicídio e indicando a localização do corpo.

Zamali foi vista pela última vez com Josenilton durante uma sarau de natalício. Embora separados, os dois ainda mantinham encontros frequentes.

Uma longa negociação por telefone com agentes especializados da Deam culminou na decisão de Josenilton de se apresentar à polícia. Foi decisivo o papel dos agentes, já que, conforme apuração da reportagem, o criminado enviava áudios sugerindo uma provável intenção de notar contra sua própria vida. A garantia de sua integridade física foi precípuo para que ele resolvesse se entregar por volta das 18h, na delegacia da cidade de Ubatã, que fica a respeito de 100 quilômetros de Itabuna.

O caso já estava sob a atenção do juiz André Strogenski da 1ª Vara Criminal, que havia decretado a prisão preventiva do criminado. Ele deverá ser transferido para a delegacia de Porto Seguro ainda na noite desta quinta e responderá por feminicídio e ocultação de morto. A perícia confirmou que Zamali foi morta a golpes de arma branca, uma vez que faca ou peixeira.

Zamali Liege Santos desapareceu no último sábado (30/08), e seu corpo, já em estado avançado de dissolução, foi encontrado quatro dias depois, às margens da BA-001. “Solicitamos ao poder Judiciário o pedido de prisão preventiva e, nesta tarde, conseguimos tomar o feminicida na cidade de Ubatã”, relatou a titular da Deam/Porto Seguro, delegada Rosangela Sousa. Posteriormente prestar prova na unidade especializada, o criminado ficará à disposição do Poder Judiciário.

Natividade: Radarnews



[ad_2]