Suspeito de matar personal trainer em Porto Seguro é solto por determinação da Justiça

 Suspeito de matar personal trainer em Porto Seguro é solto por determinação da Justiça

[ad_1]

Porto Seguro: O suspeito de matar a personal trainer Andreia Maria Costa, de 42 anos, foi solto nesta quinta-feira (24), em seguida audiência de custódia em Porto Seguro. Denis Anderson Antunes Santana, 38 anos, ex-namorado da vítima, teve o relaxamento de prisão decretado pela Justiça, a pedido da resguardo e do Ministério Público da Bahia, um dia depois de ter sido recluso.

Por formalidade judicial, ele está proibido de se ausentar de Porto Seguro e de frequentar bares e casas noturnas.

FALTA DE PROVAS – O MP requereu “nulidade do auto de prisão em flagrante pela insuficiência de provas, inexistindo a materialidade e autoria delitiva, pois todas as testemunhas ouvidas não foram capazes de provar a relação do flagranteado, sendo insuficiente para a decretação da prisão”, salientou o promotor Bruno Gontijo.

IRREGULARIDADES – A reportagem, a resguardo do réu informou que também pediu o relaxamento da prisão, alegando irregularidades na investigação. “Não houve o flagrante continuado, anulando por completo o sindicância policial, tendo em vista que ele não estava sendo procurado logo em seguida o violação e, quando foi localizado, não estava com apetrechos utilizados para o cometimento do delito”, comentou o legisperito de resguardo, Iuri Thomy Dultra Rodrigues.

DEPOIMENTO DE TESTEMUNHA – Na entrevista, o legisperito afirmou que o testemunho de uma testemunha, de que ouviu estampidos por volta das 21h e que avistou um varão preto, cocuruto e magro andando pela rua, não teve esteio, já que testemunhas da ateneu de jiu-jítsu onde a personal trainer trabalhava afirmaram que a vítima iniciou uma lição às 21h e terminou às 22h.

Ainda segundo os colegas da ateneu, em seguida a lição, eles foram levar Andreia até o ponto de ônibus.

CELULAR COMPROVA LOCALIZAÇÃO – A perícia no celular de Denis, autorizada pela resguardo, comprovou, através do Google Maps, que ele não esteve no sítio na data do violação, salientou o legisperito. Denis trabalha em uma empresa de hortifrúti em horário mercantil e, à noite, em uma empresa de monitoramento.

A resguardo também solicitou o revista de esbraseamento para provar que o suspeito não fez disparo com arma de queima.

A Polícia Social está fazendo mais diligências para apurar os fatos e chegar à autoria do violação.

O CRIME – Andreia foi assassinada a poucos metros de sua residência, no bairro Porto Prazenteiro II, por volta das 22h30 de segunda-feira (21). O corpo só foi encontrado no termo da manhã do dia seguinte, com marcas de tiros e golpes de faca. De entendimento com as investigações, Andreia foi morta logo em seguida desembarcar de um ônibus proveniente de seu trabalho em uma ateneu no meio da cidade.

Natividade: Radarnews



[ad_2]