Collor condenado significa STF mais próximo de Bolsonaro

 Collor condenado significa STF mais próximo de Bolsonaro

[ad_1]

O colunista do UOL Leonardo Sakamoto comentou durante sua participação no UOL News sobre a pena do ex-presidente Fernando Collor. Hoje (31), o STF (Supremo Tribunal Federalista) fixou a pena de Collor em 8 anos e 10 meses de prisão, em regime inicial fechado.

Sakamoto lembrou da relação de Collor com o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) durante a última campanha e também falou sobre outro sentenciado, o ex-deputado Daniel Silveira. Para o colunista do UOL, as condenações mostram que o Supremo está mais perto de Bolsonaro.

Dois aliados dele (Bolsonaro), foram aliados que já passaram por prisão preventiva [foram condenados]. Vai se aproximando do próprio ex-presidente, por mais que não seja um delito relacionado aos que Bolsonaro é culpado, mas Bolsonaro tem muitos crimes que estão sendo analisados pelo STF”.

Carla: Lira quer retomar poder sob o orçamento e pressiona por reforma ministerial

A colunista do UOL Carla Araújo afirmou durante sua participação no UOL News que o diagnóstico que se faz hoje no Planalto é de que o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) quer retomar o orçamento. Mais cedo, Lira afirmou que “há uma insatisfação generalizada” na Câmara, e possivelmente entre senadores, com a falta de fala política do governo federalista.

Qual o diagnóstico nesse momento? É Lira, o principal articulador do Centrão, dizendo para o governo que há problemas completos de fala e fazendo reclamações. Aí a gente conversa com parlamentares da base, do PT e outros aliados, e eles também emitem isso”.

Carla Araújo afirmou que conversou com aliados do Planalto sobre isso e eles admitem as críticas feitas com relação à fala.

Qual a avaliação que se faz hoje? Os parlamentares, no comando de Lira, a avaliação que está sendo feita no Planalto nesse momento, eles querem retomar o poder sobre o orçamento, porquê era no governo Bolsonaro, e que mudou no governo Lula”.

“A primeira vontade de Lira e do Centrão é ter todo o domínio sobre o orçamento”, completou.

Se não houve pacto com Lira, não será só o PL que votará contra MP dos Ministérios, diz Sakamoto

O colunista do UOL Leonardo Sakamoto afirmou que se o governo não fizer um pacto com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, não será somente o PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, que irá votar contra a Medida Provisória que reestrutura os ministérios. Mais cedo, o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, informou que o partido fechou questão no Congresso contra a MP.

Vai depender do pacto com Lira. Se não houve pacto com Lira, não vai ser só o PL que não vai votar contra, não. Se o Lira não fechou pacto com o governo, vai ser PL, PP, Republicanos, será uma série de partidos que estão sob a aba do presidente da Câmara que votará contra”.

Sakamoto ainda afirmou que será necessário esperar o momento final para saber se o PL irá liberar a bancada.

Liberando a bancada, a maior secção da bancada vota contra o governo, mas dependendo do pacto que foi estabelecido com Lira com relação à liberação de emendas e outras coisas, pode ser que pelo menos 30 deputados votem em prol do governo, que foi mais ou menos o numero do tórax.

***

O UOL News vai ao ar de segunda a sexta-feira em três edições: às 8h, às 12h, com apresentação de Fabíola Cidral, e às 18h, com Diego Sarza. O programa é sempre ao vivo.

Quando: de segunda a sexta, às 8h, às 12h e 18h.

Onde ver: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Veja a íntegra do programa: