Mais Uma Eleição, Mais Uma Esperança!

Este é o erro histórico do extremo sul da Bahia: votar em alienígenas e vender a sua consciência. O que se ouve nos bastidores da política é que o extremo sul é um oásis para “comprar votos”. Muito triste ouvir estas coisas, mas infelizmente esta tem sido a tônica da nossa história.

Se aproximam as eleições para os cargos estaduais e federais no Brasil, e, com ela a nossa vontade e desejo de mudanças no cenário brasileiro.
Infelizmente, a grande maioria do povo não acredita na força do voto, não acredita que o nosso voto pode mudar o destino do país. Continua achando que a corrupção é algo inerente da política e dos políticos. Isto tem afastado, da política, pessoas de caráter e muitas vezes com grande potencial para melhorar a qualidade de vida do nosso povo, vejo as eleições, deste ano, como determinante para o futuro do Brasil, assim sendo, será fundamental que o eleitor tenha consciência na escolha dos seus candidatos.

Atualmente tenho frequentado, com mais assiduidade. o extremo sul, algumas coisas tem me surpreendido de forma positiva e outras, com uma dor no coração, de forma negativa. Positiva é a pujança do crescimento e negativa é a violência que nos tem deixado bastante apreensivos. Será que a violência é o preço que temos que pagar devido a grande ousadia e empreendedorismo da população do extremo sul? Acho que não. Este preço que pagamos é pela ausência do Estado e a falta de representantes legítimos de Teixeira de Freitas. A nossa população carrega o ranço de escolher deputados sem o menor compromisso com a região, deputados sem a identidade da mais progressiva região da Bahia. Continuamos elegendo deputados e deputadas que derramam dinheiro em “lideranças” para conseguirem seus votos e depois desaparecem. Quem vende a consciência, não tem o direito de cobrar.
Somos culpados, pois não estamos escolhendo de forma correta e consciente nossos representantes no legislativo estadual e federal.

Continuamos agindo como capachos das velhas raposas da política baiana, continuamos seguindo o caminho do erro de votar em candidatos sem o menor compromisso com o extremo sul da Bahia. Apenas para ilustrar, posso citar os “outdoors”, da deputada Katia Oliveira, espalhados pelas as ruas e avenidas da nossa cidade e do deputado Paulo Magalhães ao lado do médico político João Bosco. O mais drástico é que a deputada está com o apoio de vários vereadores de Teixeira de Freitas e região. Este é o erro histórico do extremo sul da Bahia: votar em alienígenas e vender a sua consciência. O que se ouve nos bastidores da política é que o extremo sul é um oásis para “comprar votos”. Muito triste ouvir estas coisas, mas infelizmente esta tem sido a tônica da nossa história.

 

Partindo do pressuposto que através do voto, consciente, tenho a possibilidade de mudar a política e os aspectos socias da nossa região, procurei em dois candidatos, legítimos e genuinamente do extremo sul, o direito de exercer o meu voto: Na Câmara terá meu voto o jovem politico Bruno Barbosa, encontrei a energia e a vontade de defender os interesses regionais, combater de forma incansável a corrupção e não radicalizar nos momentos de ceder. Tivemos uma conversa bastante produtiva e me impressionei com a disposição e coragem deste jovem político de enfrentar as injustiças. E para Assembleia Legislativa, fiz parte da construção da sua candidatura e acredito que será um representante incansável na defesa regional, pois sempre fomos a favor do voto distrital: Coronel França. Nossa região tem uma oportunidade única de eleger Coronel França e Bruno Barbosa, assim acabar com a pior herança eleitoral da sua história: votar em candidatos alienígenas e compradores da consciência do eleitor. A votação nestes dois candidatos passa a ser uma questão de honra para o extremo sul baiano. Precisamos mostrar que somos capazes de mudar a história,
O eleitor deve ter o cuidado na atuação das lideranças de bairro, nos vereadores, no prefeito, nos candidatos que perderam as eleições (banda “B” assim são chamados). Pois são estes que procuram comprar seu voto ou oferecer vantagem em troca de apoio, pois estes, com certeza, continuaram promovendo corrupção e espalhando miséria.

Vamos exercer o nosso direito de escolha, cujo o instrumento é o voto consciente. Assim sendo, através de uma avaliação madura, refletida e consciente, vamos impedir que candidatos fora da nossa realidade tenha voto no extremo sul da Bahia.