Anvisa tira obrigatoriedade de vacina no embarque em cruzeiros

 Anvisa tira obrigatoriedade de vacina no embarque em cruzeiros

[ad_1]

A Anvisa retirou a obrigatoriedade da apresentação de comprovante de vacinação contra a covid-19 para o embarque em cruzeiros.

O que aconteceu?

Além de fundamentar imunização, a escritório reguladora também deixou de exigir que sejam apresentados testes negativos para a doença. As flexibilizações nas normas sanitárias foram aprovadas ontem pela diretoria colegiada da Anvisa.

As empresas que quiserem continuar com as exigências, no entanto, estão autorizadas a fazer isso.

Seguem obrigatórios os isolamentos de casos suspeitos e confirmados de covid-19 dentro das embarcações, segundo a Anvisa.

“Ou por outra, em caso de suspeita ou evidência de evento de saúde pública a bordo, continua sendo obrigatória a premência de informação imediata à poder sanitária, de forma a prometer a avaliação do risco à saúde, para a emprego das medidas sanitárias pertinentes”, diz nota da escritório.

OMS decretou término de emergência sanitária

O decreto para o término do estado de emergência sanitária para a covid-19 foi publicado pela OMS na última sexta-feira (5). Em pouco mais de três anos, a doença matou 7 milhões de pessoas no mundo, segundo os dados oficiais.

Os dados da OMS apontam, porém, que esse número pode ter chegado a respeito de 20 milhões.

Apesar do término da emergência, pelas regras da OMS não existe uma enunciação solene do final da pandemia. Assim porquê a Aids, portanto, a covid-19 continuará a ter esse status.

Obrigatoriedade de máscaras em aviões caiu em março

A norma foi derrubada por unanimidade pela Anvisa e contemplou também a dispensa do uso do item de proteção nos aeroportos.

Na ocasião, a escritório avaliou que o desembarque por filas deveria ser mantido para evitar aglomerações.



[ad_2]

Source link